Curiosidades

A Sapucaia ou cabeça de macaco (Lecythis ollaria ou L. pisonis) é uma árvore da família das Lecitidáceas (Lecythidaceae) existente na floresta amazônica e na Mata Atlântica (particularmente freqüente no sul da Bahia e no norte do Espírito Santo), que pode atingir os 30 metros de altura e um metro de diâmetro, ainda que a maioria ronde os 5 a 15 metros de altura e 30 centímetros de diâmetro. A Sapucaia é uma árvore que está em extinção. Nos dias atuais, a maioria é cultivada em viveiros.
Ela passa por fases em que muda de forma e cor durante o ano. As folhas são caracteristicamente róseas quando jovens, tornado-se cor verde que, aos poucos, vai se transformando na cor avermelhada ou vinho, para, em seguida, tornar-se uma árvore com as folhas castanho-douradas.

As flores grandes são de coloração lilás arroxeada. Florescem em abundância nos meses de setembro a outubro.

Os frutos arredondados, casca rígida e espessa de coloração castanha levam cerca de dez meses a atingir a maturação (agosto ou setembro) depois da floração que ocorre logo a seguir, em outubro. Quando 222 frutos maduros abrem-se na porção inferior, através de uma característica “tampa”, liberam as sementes (castanhas) comestíveis e saborosas. As amêndoas aromáticas e oleaginosas da sapucaia podem ser consumidas cruas, cozidas ou assadas, constituindo-se em excelente alimento.

Podem substituir, em igualdade de condições, as nozes, amêndoas ou castanhas comuns européias, prestando-se como ingrediente para doces, confeitos e pratos salgados. Os morcegos são responsáveis pelo principal processo de disseminação de sementes, sendo atraídos pelo alimento que é proporcionado numa extremidade das sementes. Seu cultivo propaga-se através das sementes, e necessita de solo argiloso, rico em matéria orgânica e sombreamento.

A palavra sapucaia tem origem tupi, ainda que existam diferenças nas propostas etimológicas: ou resulta da união dos elementos sa, puca e ia (respectivamente: olho – que se abre – cabaça) – já que ao abrir-se o opérculo do fruto (que é um pixídio) parece que se vê um olho. Por outro lado, há quem considere que a palavra tem origem na palavra tupi para galinha (elemento de troca entre índios e portugueses, no início da colonização, que as trocavam pelas sementes do frutocastanhas).

Fonte: Modificado de Wikipédia, Galeria Flavio Cruvinel Brandão e Silvestre Silva

Anúncios